Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

No comando: PROGRAMAÇÃO

Das as

No comando: PROGRAMAÇÃO RÁDIO SACOÃ

Das as

Forró
No comando: SO FORRÓ

Das 5:00 as 6:00

Aldecino Lopes
No comando: ALEGRIA ALEGRIA

Das 5:00 as 7:30

reencarnacao
No comando: JOÃO DE DEUS

Das 6:00 as 7:00

microfone_04
No comando: HORÁRIO ARRENDADO

Das 7:00 as 7:30

FOTO_VINIL1a
No comando: ARQUIVO MUSICAL

Das 7:00 as 9:00

biblia
No comando: CONVERSANDO COM DEUS

Das 7:30 as 9:00

Pedro Álvares
No comando: BREGA TOTAL

Das 9:00 as 13:00

Aldecino Lopes
No comando: ALEGRIA ALEGRIA

Das 05:00 as 07:00

Gilvan Ferreira
No comando: SINTONIA POPULAR

Das 07:30 as 09:00

FOTO_PROGRAMA
No comando: CONEXÃO DIRETA

Das 09:00 as 11:00

FOTO_PROGRAMA_06
No comando: PAGODIANDO

Das 11:00 as 12:00

4293564935-bola-na-rede-futebol
No comando: SHOW DE BOLA

Das 11:00 as 12:00

jornalismo
No comando: JORNAL NOSSA HORA

Das 12:00 as 13:00

sabia-e-a-natureza
No comando: BAIXADA EM DEBATE

Das 12:00 as 14:00

Music Energy (+clipping path, XXL)
No comando: PROGRAMAÇÃO PADRÃO

Das 13:00 as 00:00

IMG-20170404-WA0044
No comando: DE BEM COM O SUCESSO

Das 13:00 as 15:30

FOTO_VINIL1a
No comando: ARQUIVO MUSICAL

Das 14:00 as 15:00

Riba Sousa
No comando: CONEXÃO REGGAE

Das 15:00 as 17:00

Cavalcante Filho
No comando: Os astros comandam seu destino

Das 15:30 as 16:00

Riba Sousa
No comando: CONEXÃO REGGAE

Das 16:00 as 18:00

IMG-20161013-WA0060
No comando: QUEM MANDA É VOCÊ

Das 17:00 as 19:00

FOTO_VINIL1a
No comando: FLASH BACK

Das 18:00 as 00:00

FOTO_PROGRAMA_02
No comando: MOMENTO GOSPEL

Das 18:00 as 19:00

Bandeira-Brasil-stock.xchng-menor
No comando: A VOZ DO BRASIL

Das 19:00 as 20:00

1247583011-Bob_Marley_wallpaper_picture_image_free_music_Reggae_desktop_wallpaper_1024
No comando: ÁGUIA DE OURO

Das 20:00 as 21:00

FOTO_VINIL1a
No comando: ARQUIVO MUSICAL

Das 21:00 as 00:00

GUIMARÃES

Compartilhe:
Untitled-1

Baixada Maranhense: Guimarães

 

 

 

 

 

A cidade de Guimarães localiza-se a uma latitude 02º07’59” sul e a uma longitude 44º36’04” oeste, estando a uma altitude de 41 metros. Sua população é de 12 387 habitantes (Censo 2007). Possui uma área de 598,796 km². A colonização do município começou no final do século XVI, quando foi construído um forte na Baía de Cumã para vigiar o possível movimento de invasores em direção a Alcântara ou São Luís.

Como tudo começou: José Bruno de Barros, que parece ter sido dos primeiros habitantes da região, servindo-se da ajuda de silvícolas, montou em seus domínios olarias e financiando a fabricação de farinha de mandioca. Em 1755, alegando morar muito distante da freguesia – o que, além de causar-lhe grande incômodo, “fazia muita falta à cultura de suas lavouras”, requereu ao bispo diocesano, D. Antônio de São José, licença para levantar em sua fazenda uma capela dedicada a São José. Ao mesmo tempo assinou uma escritura em que especificava o patrimônio do templo, trinta vacas e meio quarto de légua de terras. Doada à Coroa, no decurso de 1758, sua fazenda de Guarapiranga foi o ponto inicial do atual Município de Guimarães. Já no ano seguinte, era fundada a vila, sob a denominação de São José de Guimarães e logo incorporada à comarca de São Luís do Maranhão.

Atraídos pela abundância de peixes, grande leva de estrangeiros, principalmente portugueses, chegou à nova povoação. Fundaram estabelecimentos agrícolas para o plantio de mandioca e cana-deaçúcar e iniciaram a fabricação de cal, usando crustáceos como matéria-prima. “Esta vila é uma das maiores do Estado e com tantos moradores que forma uma companhia de auxiliares de oitenta praças” – escreveu Joaquim de Melo e Póvoas ao governador em 1766. E Antônio Corrêa Furtado de Mendonça, procurador-geral dos índios, trinta anos depois asseverava: “A vila de Guimarães do Cumã desta capitania pode servir de exemplar que é a única vila de índios que se acha em grande adiantamento, na qual já se acham muitos índios com bens e possuidores de escravos.” Somente em 1838, porém, é que se instalou a primeira escola, e em 1847, a Agência Postal. Segundo o quadro administrativo vigente em 31 de dezembro de 1955, Guimarães compõe-se de 3 distritos: Guimarães, Mirinzal e Muiraneu.

Formação Administrativa – Distrito criado com a denominação de Guimarães, pela provisão de 23-03-1758. Elevado à categoria de município com a denominação de Guimarães, pela lei provincial nº 7, de 29-04-1835. Sede na Vila de Guimarães. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a Vila é constituída do distrito sede.  Elevado à condição de cidade com a denominação de Guimarães, pela lei estadual nº 885, de 26-02-1920. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII1937. Pela lei estadual nº 269, de 31-12-1948, são criados os distritos de Mirinzal e Mairaneu e anexado ao município de Guimarães. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 3 distrtitos: Guimarães, Mirinzal e Muiraneu. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. Pela lei estadual nº 2175, de 26-12-1961, desmembra do município de Guimarães o distrito de Mirinzal. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Guimarães e Muiraneu. Pela lei estadual nº 2378, de 09-06-1964, desmembra do município de Guimarães o distrito de Muiraneu. Elevado à categoria de município com a denominação de Cedral. Em divisão territorial datada de 1-I-1978, o município é constituído do distrito sede, permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Gentilíco: Vimarense

 

COMO CHEGAR

Via aérea: Saindo de São Luís são 72 quilômetros, com aproximadamente 20 minutos de vôo em aviões monomotores fretados. Não há linhas regulares. O aeroporto fi ca a 3 quilômetros do centro. Os aeroportos mais próximos que dispõem de linhas regulares são os de Pinheiro e Cururupu.

Via terrestre: Existem duas maneiras: A primeira é fazendo a travessia deferry-boat, (telefones 3232-7259 e 3231-0050), que sai diariamente do porto da Ponta da Espera-São Luís para o porto do Cujupe, em Alcântara, com uma hora e meia de travessia, prosseguindo viagem de carro por 174 quilômetros até a cidade de Guimarães. A empresa Baymatur, que dispõe de micro-ônibus com ar condicionado faz a viagem diariamente, saindo de São Luís às 15 horas e regressando de Guimarães às 4 horas da manhã, dispondo dos telefones 3236-2841, 3386-1209, 9.9608-4718 e 9.8803-6580. A outra, é percorrendo a BR 135 até o Município de Miranda do Norte, seguindo através da BR-222 até o Município de Vitória do Mearim, tomando a MA-014 até a cidade de Pinheiro, prosseguindo através da MA-006 até o Município de Central do Maranhão, quando então chega-se ao ponto da estrada denominado Placas, dobrando à direita, e percorrendo mais 24 quilômetros até a cidade de Guimarães, em estrada asfaltada.

Via marítima: A mais antiga via de acesso ao Município. Atualmente mantém na linha apenas uma embarcação de madeira, o Iate Bom Jesus,partindo da rampa Campos Melo, em São Luís, às quartas e sextas feiras, regressando de Guimarães às segundas e quintas-feiras. A viagem dura 5 horas costeando o Município de Alcântara.

AS ATRAÇÕES DA CIDADE

Praia de Araoca, a 18 quilômetros do centro. Em frente à praia, avista-se os baixios dos Atins, local onde afundou, em 3 de novembro de 1864, o navio francês Ville de Boulogne, em cujas águas encontra-se guardado o maior poeta nacional – Gonçalves Dias;  2) Praia do Recreio, em Genipaúba, a 14 quilômetros do centro; 3) Praia de Guajerutíua, a 11 quilômetros do centro; 4) Porto do Guarapiranga, local onde foi iniciado o povoamento da cidade. Balneário Nova Bolívia, a 4 quilômetros do centro; 6) Balneário Paquetá, a apenas 2 quilômetros do centro; 7) Balneário Itororoma, a 2 quilômetros do centro; 8) Balneário do Gepuba, a 4 quilômetros do centro; 9) Balneário do Encontro, a 9 quilômetros do centro; 10) Poço Grande, o mais antigo poço da cidade, continuando até os dias atuais a oferecer água potável; 11) Barriquinha, poço responsável pela metade do abastecimento de água da cidade antes da instalação do serviço de água encanada da CAEMA, em 1970. Até então, o fornecimento de água para as residências era realizado em ancoretas, nos lombos de jumentos.

Igreja de São José – A mais antiga construção da cidade, edifi cada ainda como capela por volta do ano de 1758, sendo o primeiro vigário Frei Pedro de Santa Rosa. O altar-mor foi construído no ano de 1935, todo erigido à mão por operários e artistas locais, substituindo o antigo altar-mor de madeira. 13) Casa Paroquial, com paredes de azulejos portugueses, ainda intactos. 14) Fórum de Justiça, denominado Desembargador Juvenil Amorim Ewerton, o segundo prédio mais antigo da cidade, reconstruído em 1992, funcionando em seus primórdios, a Câmara Municipal, o Fórum de Justiça, a Delegacia de Polícia e a Cadeia Pública. 15) Casa Dias Vieira, de tradicional família vimarense, onde atualmente funciona a Prefeitura Municipal, na rua do mesmo nome.

Prédio antigo da Prefeitura, na Rua Dr. Urbano Santos, conhecido como Palácio das Lágrimas. Inaugurado em 1919, na época em que o vimarense Urbano Santos ascendeu à liderança política do Estado, exercendo seguidos mandatos, foi incendiado no ano de 2000. Reconstruído no ano de 2004, foi transformado em Centro Cultural do Município. 17) Prédio da Vila Gen, o maior prédio da cidade, sendo construído em 1961 para tornar-se a sede do Seminário São José, de orientação católica. Desativado em 1970, sediou nos anos seguintes, importante projeto educacional para jovens de toda a Baixada.

Manisfestações Culturais –  Durante dez dias são promovidas ladainhas e instaladas barracas para venda de comidas, sucos e refrigerantes, revertidos em favor da Igreja. No último dia há alvorada festiva, batizados, procissão marítima pela Baía de Cumã, procissão terrestre por avenidas e ruas da cidade, missa campal, apuração e coroação da Rainha da Festa; os Pastores, na época natalina; o bumba -boi de zabumba, originário de Guimarães, no período junino, sendo o mais tradicional o Boi de Marcelino, na sede do Município; Caixas do Divino Espírito Santo e o tambor de crioula. A Casa das Minas, mais antiga, denominada “Boa Fé” fica na Rua Santa Marta, conhecida também como “Terreiro de Memê”.

Produção: pescado, crustáceos e farinha de mandioca, cachaça da terra, produzida no Engenho Entre-Rios, no Engenho do Brejo e no Engenho do Ronca.

Festejos religiosos e folclore: Festejo de São José, principal festa religiosa, que vem ocorrendo nos últimos anos no início do mês de setembro, sem acompanhar o movimento das marés de lua com tradicionalmente acontecia. Desde o ano de 1936 é realizada a procissão marítima, com o andor do Santo Padroeiro sendo embarcado no Porto do Guarapiranga e desembarcando em procissão no porto principal da cidade.

DADOS GERAIS – A população total do município é de 11.776 habitantes, de acordo com a estimativa do IBGE (2016). Sua área é de 595 km² representando 0.179% do estado, 0.038% da região e 0.007%de todo o território brasileiro. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) brasileiro é de 0,64, segundo o IBGE (2000). Endereço da Prefeitura: Rua Dias Vieira, 367 – Centro. CEP: 65.255-000. Área Territorial: 595 km². Ano de Instalação: 1758. Microrregião: Litoral Ocidental Maranhense. Mesorregião: Norte Maranhense. Altitude da Sede: 41 m. Distância à São Luís: 170 km.

Fonte: Guia do Maranhão 2017

Deixe seu comentário:

Curta no Facebook

BANNER

BANNER

diques da baixada

diques da baixada

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

REGGAE

REGGAE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

agenda

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930